por: Viagem e Gastronomia Viagem e Gastronomia

Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Vai viajar de avião no fim do ano? Confira dicas para evitar contratempos

    Apresento comprovante de vacinação ou teste de Covid? Posso levar álcool líquido na bagagem de mão? CNN Viagem & Gastronomia tira todas as dúvidas

    Divulgação

    Thiago Vinholesdo Viagem & Gastronomia

    Ouvir notícia

    Vontade de viajar de avião? As festividades de fim de ano, como de costume, ampliam significativamente a procura por viagens e o movimento de passageiros nos aeroportos no Brasil e ao redor do mundo aumenta de forma expressiva.

    No entanto, devemos lembrar que ainda estamos passando pela pandemia de Covid-19 e o risco de contaminação persiste, sobretudo em locais onde há maior circulação de pessoas.

    Quem decidir viajar neste período de alta temporada, para destinos domésticos ou internacionais, precisa se preparar com antecedência para não ter nenhum contratempo que impeça o embarque.

    “Quanto mais o passageiro se preparar antes da viagem, melhor. Muitas pessoas vão viajar para visitar familiares e amigos que eles não vêm há muito tempo e devemos tomar cuidado com o coronavírus. Também sabemos que nesta época do ano os aeroportos ficam cheios, tem o período de chuvas e mais trânsito. O passageiro que viaja de avião somente uma vez por ano nem sempre lembra disso tudo e agora temos as questões relacionadas a pandemia”, disse Elisa Pereira, gerente de aeroportos da LATAM Brasil.

    Confira a seguir recomendações para viajantes em voos domésticos e internacionais não terem problemas na hora de viajar de avião:

    Documentos

    Para embarcar em voos nacionais, passageiros podem apresentar uma série de documentos com foto desde que estejam na validade e contenham dados compatíveis com o cartão de embarque.

    Os documentos aceitos em voos domésticos são: Carteira de Identidade (RG), Carteira Nacional de Habilitação (modelo físico com fotografia) ou a CNH-e (Carteira Nacional de Habilitação Eletrônica), Carteira de Trabalho, DNI (Documento Nacional de Identidade digital), Título de Eleitor Eletrônico (com nome civil ou nome social) e Passaporte original e na validade.

    Caso um destes documentos tenha sido furtado, roubado ou extraviado, o viajante pode embarcar ao apresentar o Boletim de Ocorrência com prazo de validade em vigor.

    Em voos internacionais, o passageiro precisa apresentar o Passaporte (dependendo do destino, o documento precisa ter pelo menos seis meses de validade). Em viagens para países membros do Mercosul, também é aceito o RG original e o Registro de Identidade Civil (RIC).

    Antes de comprar a passagem, é importante consultar o consulado da nação de destino para se informar sobre o visto de entrada ou de trânsito (em caso de voos com escalas em países que exigem visto de trânsito), já que as regras variam de país para país.

    Comprovante de vacinação, testes de Covid-19 e quarentena

    Dependendo do destino, viajantes brasileiros ou estrangeiros que partem do Brasil para o exterior devem apresentar comprovante impresso ou eletrônico de vacinação com imunizantes aprovados pela ANVISA, OMS ou da autoridade de saúde do país destinatário.

    Outra exigência, que também varia de país para país, é a apresentação de teste antígeno de Covid-19, realizado em até 24 horas antes do embarque, ou laboratorial RT-PCR, processado com no máximo 72 horas de antecedência do embarque, com resultado negativo ou não detectável.

    Ao desembarcar no exterior, os viajantes, se houver a exigência, devem apresentar novamente às autoridades locais os comprovantes de vacinação, resultado do teste de Covid-19 e, em alguns casos, formulários de saúde (disponíveis nos websites de consulados). Alguns países aceitam o Certificado Nacional de Vacinação contra a Covid-19 como comprovante de vacinação. Há também nações que exigem períodos de quarentena dos viajantes que chegam em seus territórios.

    O retorno ao Brasil também exige atenção dos passageiros. Antes de embarcar no voo de volta, os viajantes devem apresentar o teste antígeno (realizado com até 24 horas de antecedência) ou o RT-PCR (com até 72 horas de antecedência), com resultado negativo ou não detectável. Outra exigência é a apresentação de comprovante (impresso ou eletrônico) do preenchimento do Formulário de Declações de Saúde do Viajante (DNS), disponível no site da Anvisa (no link – https://formulario.anvisa.gov.br/).

    Máscaras

    No momento atual da pandemia, levando em consideração o cenário no Brasil e no mundo, assim como o surgimento das variantes do coronavírus, companhias aéreas brasileiras solicitam que os passageiros utilizem determinados modelos de máscaras.

    As máscaras são necessárias durante toda a viagem /Divulgação

    De modo geral, companhias nacionais permitem somente o embarque de passageiros com máscaras cirúrgicas descartáveis, modelos FPP2 e N95 (ambas sem válvulas) e máscaras de tecido com no mínimo duas camadas.

    “É importante que os passageiros se atentem aos modelos de máscaras permitidos a bordo e permaneçam com ela durante toda a viagem. A obrigatoriedade deste equipamento de proteção é uma questão de segurança coletiva, mais do que uma decisão individual”, ressaltou à CNN o médico Mário Martins, gerente médico da Gol.

    Protocolos sanitários

    O passageiro deve evitar aglomerações, respeitar o distanciamento nas filas dos aeroportos e seguir todos os protocolos sanitários, incluindo o de higienizar as mãos com álcool gel 70% ou água e sabão. Nos voos nacionais, o passageiro pode transportar na bagagem de mão até 500 ml de álcool líquido ou 500 g de álcool em gel. Em viagens internacionais, a quantidade não pode ultrapassar 100ml.

    “Medidas extraordinárias foram adotadas a favor dos clientes e dos colaboradores da companhia, começando pelos aeroportos, como distanciamento nas filas, incorporação de proteções de acrílico no check-in e uso de adesivos para demarcar a distância mínima durante o processo de embarque e também a bordo, além do fechamento da sala VIP dos aeroportos”, informou a Gol.

    Nos aeroportos, a utilização de máscaras é obrigatória para todos, exceto crianças com menos de 2 anos e pessoas com necessidades especiais ou deficiência cognitiva, que são orientados caso a caso.

    Durante o voo, é permitido que os passageiros retirem as máscaras de proteção momentaneamente para beber água ou ingerir alimentos.

    No momento do desembarque, permaneça no assento até chegar o seu momento de levantar e sair do avião. Companhias estão organizando a saída dos passageiros por fileiras, começando pelas poltronas dianteiras, e seguindo em direção ao fundo da aeronave. Essa medida elimina a aglomeração no corredor da aeronave.

    Chegue ao aeroporto com antecedência

    No caso de viagens internacionais, a Latam recomenda aos passageiros que se apresentem no aeroporto quatro horas antes do horário do voo. Em viagens nacionais, a empresa pede aos passageiros que cheguem com pelo menos duas horas de antecedência.

    Para evitar filas, a gerente da Latam recomenda aos viajantes que realizem o check-in online diretamente no site ou aplicativo da companhia. “Quando o passageiro realiza esse processo com antecedência, ele consegue acessar a área de embarque do aeroporto mais cedo, agilizando a viagem de todos e evitando contratempos em casos de eventuais trocas de portões do aeroporto, por exemplo.”

    Nada mais tranquilo do que chegar ao aeroporto com antecedência  /Divulgação

    “Chegar ao aeroporto com quatro horas de antecedência pode parecer muito tempo, mas não é. Em voos internacionais há todo um processo de check-in, despacho de bagagem, conferir documentos e passagem pelo raio-x. Não só isso, se o viajante tiver alguma pendência, ele pode usar esse tempo para resolver a questão. Para o retorno, também recomendamos que os passageiros cheguem no aeroporto com quatro horas de antecedência”, acrescentou Elisa Pereira.

    Recomendações para os não vacinados

    Enquanto ainda não é exigido o “Passaporte da Vacina”, viajantes que não possuem o comprovante de vacinação, cuja aplicação da última dose ou dose única tenha ocorrido, no mínimo, 14 dias antes da data do embarque, poderão ingressar no território brasileiro, desde que aceitem realizar quarentena de cinco dias na cidade do seu destino final e no endereço registrado na DNS. Ao final da quarentena, será obrigatória a realização de teste antígeno ou RT-PCR e, em caso de resultado negativo, o período de isolamento será encerrado.

    A apresentação do comprovante de vacinação não é necessária aos viajantes considerados não elegíveis para vacinação, de acordo com critérios estabelecidos pelo Ministério da Saúde.

    “Para voos domésticos, não é exigido a apresentação da Carteira de Vacinação nem o teste RT-PCR. No entanto, o passageiro que não se vacinou, assim como quem está vacinado, deve permanecer de máscara durante todo o voo. Porém, sabemos que em algumas cidades é exigido o comprovante de vacinação para a visitação de pontos turísticos”, concluiu a gerente de aeroportos da Latam.

    Mais Recentes da CNN