por: Viagem e Gastronomia Viagem e Gastronomia

NY do alto: cidade ganha observatório de vidro a mais de 300 metros do chão

Atração ocupa últimos andares do quarto prédio mais alto da Big Apple e conta com elevadores de vidro e instalação permanente de arte

Atração no pico do arranha-céu One Vanderbilt também possui instalação de arte que brinca com o limite dos espaços e a reflexividade
Atração no pico do arranha-céu One Vanderbilt também possui instalação de arte que brinca com o limite dos espaços e a reflexividade Divulgação/SL Green Realty Corporation

Saulo Tafarelodo Viagem & Gastronomia

São Paulo

Ouvir notícia

No mesmo dia em que Dubai pretende inaugurar a maior roda-gigante do mundo, a cidade de Nova York também ganha mais uma atração nas alturas para chamar de sua. Com data de abertura prevista para 21 de outubro, a Big Apple lança o Summit One Vanderbilt, deck de observação nos últimos andares do prédio One Vanderbilt, o quarto mais alto da cidade, com 427 metros de altura, bem ao lado da icônica Grand Central Station.

A inédita atração apresenta um elevador envidraçado, boxes de vidro e instalação de arte. São quatro andares diferentes ao todo, em que o espaço de entretenimento promete oferecer aos visitantes uma experiência multissensorial que “quebra os padrões, despertando seus sentidos, sua curiosidade e sua imaginação no coração de Nova York”, segundo o site oficial.

São três formas de contemplar as vistas impressionantes do arranha-céu. A primeira parte é um elevador de vidro chamado Ascent, que subirá pelo lado de fora do prédio desde o lobby até atingir cerca de 364 metros de altura.

Para os corajosos, caixas de vidro totalmente transparentes chamadas de Levitation se projetam para fora do prédio num segundo pavimento, quase que levitando a mais de 300 metros acima do burburinho da Madison Avenue.

Por último, a terceira parte resume-se ao Summit, que possui bar ao ar livre e terraço com vistas para Manhattan e pontos de até 120 km de distância.

Instalação de arte

O projeto artístico permanente do local chama-se Air e é assinado pelo estúdio Kenzo Digital, famoso por conceber trabalhos para os cantores Beyoncé e Kanye West. A primeira montagem da instalação é batizada de Transcendence, que mistura transparência e reflexividade, criando ilusão de espaços sem limites.

“Além de sua notável materialidade, Air é uma entidade viva que respira, expressa por meio de seu uso multissensorial do som, iluminação e design de produção. É uma história que evolui a cada espaço, trazendo os visitantes cada vez mais fundo na experiência até que, finalmente, eles se tornam parte dela”, diz Kenzo Digital, Artista e CEO da Kenzo Digital Immersive em um comunicado à imprensa.

Ingressos para conferir o Summit One Vanderbilt começaram a ser vendidos em 14 de setembro, com preços a partir de US$39 (cerca de R$210 segundo cotação atual).

O tíquete mais caro dá direito a entrada a todos os espaços de observação, que inclui os boxes de vidro, o elevador, a instalação de arte, o bar e o terraço, a um custo de US$73 (cerca de R$390).

Todos os valores aumentam 10 dólares para visitas no pôr do sol e à noite. Vale ressaltar que é obrigatório apresentar comprovante de vacinação contra a Covid-19 para desfrutar do local.

O arranha-céu

O One Vanderbilt foi inaugurado em setembro de 2020 e é o quarto prédio mais alto da cidade de Nova York. Com 427 metros de altura ao todo (o telhado está a 397 metros do chão), ele perde somente para o One World Trade Center (541 metros), a Central Park Tower (472 metros) e a Steinway Tower (435 metros).

A torre fica bem ao lado da Grand Central Station, emblemático cartão postal e terminal ferroviário e metroviário ativo da cidade. A entrada para o Summit One Vanderbilt, inclusive, é conectada à estação, feita através do salão principal, dentro da passagem Vanderbilt.

De acordo com a CNN Travel, o empreendimento teve um custo total de US$3.3 bilhões, mais de R$17 bilhões. A construção fez parte dos planos de revitalização de Midtown, bem no miolo de Manhattan.

Outros observatórios

Com uma gama de gigantescos prédios, Nova York tem uma variedade de observatórios que oferecem vistas deslumbrantes da cidade sob a perspectiva de diferentes ângulos.

Os mais famosos são os observatórios nos últimos andares do Empire State Building, um dos ícones da cidade com observatório ao ar livre no 86º andar, e o Top of The Rock, no Rockefeller Center, com vistas lindas para o Central Park no 70º andar.

Recentemente, outros decks de observação ganharam os céus da cidade. É o caso do One World Trade Center, que abriu um observatório supertecnológico no 100º andar do prédio, a mais de 380 metros do chão, e do Edge at Hudson Yards, deck ao ar livre mais alto do ocidente – a plataforma se estende a 24 metros do centésimo andar a mais de 335 metros de altura.


Mais Recentes da CNN