por: Viagem e Gastronomia Viagem e Gastronomia

Fred Sabbag indica seus bares preferidos no Rio de Janeiro

Pode parecer atrevimento um paulista escrever sobre bares cariocas, mas o Fred é um apaixonado pela Cidade Maravilhosa e sempre que possível passa alguns dias por lá, desbravando a culinária, as belezas e, claro, a vida boêmia que o Rio oferece tão bem

Ouvir notícia
Rio de Janeiro combina com um bom bar, não? Fred Sabbag entrega os seus preferidos (Foto: Getty Images)

É atribuída a Nelson Rodrigues a expressão de que “o boteco é ressoante como uma concha marinha”, pois “todas as vozes brasileiras passam por ele”. Em tempos em que ressaltar a importância da democracia é mais do que importante, nada mais oportuno do que um texto específico sobre um dos espaços mais democráticos que existem. 

Em um mesmo bar, por exemplo, encontram-se em um mesmo momento pessoas de classes sociais e origens distintas, para lamentar ou festejar a vida. A ideia é essa e fica aqui a esperança de que isso jamais mude: o bar é um passatempo, uma terapia, um palco de celebração e uma fonte de alento.

Deixada a finalidade psicológica de lado, é possível comer tão bem (ou até melhor) em bares quanto em restaurantes e a ideia deste texto é ressaltar a boa gastronomia (nunca “baixa gastronomia”, como dizem por aí). Para acompanhar, sempre cerveja ou chope gelado, batidas, caipirinhas…

A seguir, os bares preferidos do Fred Sabbag no Rio de Janeiro:

Feijoada do Bar do Momo (Foto: Gabriel da Muda)

Bar do Momo 

Aberto por um Rei Momo de verdade (Abrahão Reis), desde 1986 o Bar do Momo está nas mãos de Tonhão (Antonio Lopes dos Santos) e Toninho (Antonio Lopes Carlos Laffargue).

Dentre as diversas opções disponíveis (algumas esporádicas), o Bar do Momo serve alguns petiscos famosos, tais como o bolinho de arroz, bolovo de bacalhau e guacamole de jiló, além de pratos como Feijoada e Cavalo do Rei (um contrafilé com alho acompanhado de dois ovos fritos) e sanduíches.

Rua Gen. Espírito Santo Cardoso, 50A, Tijuca, Rio de Janeiro-RJ

Bar Madrid

Bar Madrid (Foto: Fred Sabbag)

Fundado pelos primos Felipe Quintans e André Quintans (cariocas descendentes de espanhóis), o Bar Madrid possui na decoração diversas referências à Espanha e ao Brasil (de Julio Iglesias a Leonel Brizola e do América ao Real Madrid).

Lá brilham pratos do dia como bobó de camarão, feijoada e bife à milanesa, pasteis (jiló com linguiça mineira, camarão, entre outros), bolinhos (feijoada, carne seca ou croquete de carne ou de língua) e sanduíches (o de bife à milanesa é demais!). E a Espanha? É lembrada em pratos como os huevos rotos, paella, mariscos e tortilla.

Rua Almirante Gavião, 11, Tijuca, Rio de Janeiro-RJ

Leia mais:

Thomas Troisgros lança delivery no Rio de Janeiro com o frango como protagonista
10 restaurantes com áreas abertas no Rio de Janeiro
5 lugares para tomar café da manhã no Rio de Janeiro
Restaurateur Leonardo Rezende, do Pici Trattoria, dá dicas de onde comer no Rio

Bar do Bode Cheiroso

Torresmo crocante do Bode cheiroso (Foto: Gabriel da Muda)

O Bode Cheiroso está intimamente ligado à história do Estádio do Maracanã. Fundado em 1945, durante a construção do Estádio trabalhadores envolvidos com a obra paravam diariamente no bar. Por lá, é possível comer pratos como pernil com maionese, feijoada e rabada com agrião, além de ótimos pastéis, empadas e a famosa “barrinha de cereal” (um torresmo de barriga absurdamente crocante).

Rua Gen. Canabarro, 218, Maracanã, Rio de Janeiro-RJ

Bar da Gema

Pastel de feijão do Bar da Gema (Foto: Gabriel da Muda)

Das aulas da faculdade a uma sociedade que já dura mais de 10 anos, os amigos Luiza Souza e Leandro Amaral fundaram o Bar da Gema em fevereiro de 2009. A boa cozinha do bar é reflexo da formação da dupla em gastronomia.

No cardápio, destacam-se petiscos como pastel de feijão ou mortadela, polentinha com rabada e a inigualável coxinha. Dentre os pratos, feijoada, rabada, arroz ou bobó de camarão e feijão tropeiro são ótimas pedidas.

Rua Barão de Mesquita, 615, Tijuca, Rio de Janeiro-RJ

Bar do Mineiro

Bar do Mineiro (Foto: divulgação)

O Bar do Mineiro foi fundado em 1992 por Diógenes Paixão, que está à frente do bar desde então. No coração da charmosa Santa Tereza, o bar é atração não só por sua boa comida, mas também pelas obras de arte penduradas na parede.

Lá é possível comer, ao lado de personalidades da classe artística, iguarias como o pastel de feijão, tutu à mineira com couve, leitão à pururuca, sanduíche de linguiça e bolinhos (bacalhau, jiló com linguiça, camarão, entre outros).

Rua Paschoal Carlos Magno, 99, Santa Teresa, Rio de Janeiro-RJ

Bar Bracarense

Bolinho de aipim com camarão e requeijão do Bar Bracarense (Foto: Fred Sabbag)

Fundado em 1961 pelo português Arnaldo Tomé no Leblon, o Bar Bracarense é administrado pelos netos do fundador Carla e Kadu Tomé. É um dos bares mais premiados do Brasil e, na opinião de quem vos escreve, serve um dos melhores chopes do Rio de Janeiro.

No cardápio, destacam-se os bolinhos de aipim com camarão e requeijão (aqui vale a menção honrosa à criadora Alaíde Carneiro, hoje em Minas Gerais), bolinho “gente boa” (jiló com linguiça), croquete mussaralho e o sanduíche de peito de boi. Há pratos do dia, como os clássicos bobó e arroz de camarão, bacalhau à brás e carré à mineira.

Rua José Linhares, 85, Leblon, Rio de Janeiro-RJ

Personalidade: Gabriel da Muda

Gabriel da Muda (Foto: arquivo pessoal)

Gabriel Cavalcante, ou melhor, Gabriel da Muda como é conhecido por sua procedência (nota: a Muda é uma região da Tijuca, entre a Praça Saens Peña e a Usina), é cantor e cavaquinista carioca de 35 anos. 

É componente do disputado Samba do Trabalhador e um dos proprietários da Fabro Padaria (já citada nesta coluna). Desde adolescente, por sua ligação com a música e consequentemente com a boemia, frequenta bares no Rio de Janeiro e já há um tempo faz um estrondoso sucesso no Instagram (@gabrieldamuda). 

Para ele, foi a música que lhe deu a oportunidade de mergulhar de cabeça na gastronomia e, sentado ao ar livre nos bares e botequins (tocando ou não), percebeu aí o melhor jeito de conhecer as cidades pelo fato de assim ser possível ver pessoas passando e o dia acontecendo.

Antes de iniciar sua carreira empreendedora (que certamente será de igual sucesso), Gabriel da Muda era visto quase que diariamente em bares e restaurantes do Rio de Janeiro e, aqui uma confissão, sempre foi fonte de inspiração para este que vos escreve. Agora “atrás do balcão”, Gabriel vê como desafio encontrar e corrigir os mesmos erros que sempre viu como cliente, além de sempre querer melhorar. 

Enfim, é uma personalidade que merece uma menção honrosa nesta coluna, escrita por um paulista apaixonado pelo Rio de Janeiro e pelos cariocas.

Fred Sabbag (Foto: divulgação)

Sobre Fred
Fred Sabbag é advogado por profissão, mas, no tempo livre, nada de processos ou trâmites judiciais: uma de suas maiores paixões é frequentar bares e restaurantes. O hábito rendeu-lhe inúmeros seguidores no Instagram (@fredsabbag) e o tornou numa celebridade da gastronomia em São Paulo.

Mais Recentes da CNN