por: Viagem e Gastronomia Viagem e Gastronomia

Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Os principais destinos urbanos do mundo na era Covid

    Novo ranking da Euromonitor avalia, além de infraestrutura, sustentabilidade e economia, da rede hoteleira e qualidade de vida dos moradores, a eficácia de sua resposta à pandemia da Covid-19

    Torre Eiffel ou vista aérea de Tour Eiffel, em Paris, França
    Torre Eiffel ou vista aérea de Tour Eiffel, em Paris, França saiko3p - stock.adobe.com

    Maureen O'Hareda CNN

    Ouvir notícia

    Há muitas maneiras de avaliar o sucesso de uma cidade como destino turístico além do número de visitantes que o destino recebe.

    Há infraestrutura, sustentabilidade e economia; há também a maneira como lida com os desafios de atrair e acomodar viajantes, mantendo a qualidade de vida dos moradores; e depois há a eficácia de sua resposta à pandemia de Covid-19.

    A empresa de pesquisa de mercado Euromonitor, sediada no Reino Unido, costumava ser conhecida por sua lista anual dos 100 principais destinos da cidade, que – até a Covid mudar tudo em 2020 – classificava os principais destinos pelo número de chegadas internacionais.

    Isso foi substituído pelo novo índice, o Top 100 City Destinations, que compara a atratividade de 100 cidades em todo o mundo usando seis pilares de desempenho, com o relatório mais recente baseado em dados coletados em 2021.

    Em 2019, o topo da lista era dominado por destinos asiáticos – com Hong Kong e Bangkok – mas em 2021 a Europa agora é representada por oito cidades no top 10.

    Assim como a lista pré-pandemia, o índice de 2021 é um instantâneo no tempo. No ano passado, as cidades se recuperaram após a crise global, com algumas se abrindo para o mundo mais rapidamente do que outras. A lista do próximo ano, sem dúvida, será diferente novamente, no cenário veloz da recuperação do Covid.

    Aqui, então, estão os primeiros heróis do turismo da era da pandemia.

    Paris lidera o mundo

    Paris foi eleita o destino urbano mais atraente do mundo para 2021. Globalmente, ficou em primeiro lugar no pilar “desempenho turístico” e em segundo lugar em “política e infraestrutura turística”.

    A cidade se beneficiou do retorno de turistas americanos e asiáticos, diz o Euromonitor, embora ainda não tenha recebido o impulso dos visitantes do Reino Unido – anteriormente um grande mercado. Isso mudou agora, com o Reino Unido sendo adicionado à “lista verde” da França, no dia 31 de março de 2022.

    No entanto, a classificação foi baixa em saúde e segurança, o que o relatório mostra, “apesar do aumento dos esforços para aumentar as taxas de vacinação em uma população que hesita em vacinar”.

    A França tem sido um dos países europeus mais atingidos em termos de Covid e, no início deste mês, teve cerca de 27 milhões de casos no total.

    Dubai nas alturas

    Dubai se destaca em saúde e segurança / Divulgação

    Dubai – que ficou em primeiro lugar no índice de 2020 – ocupa o segundo lugar na lista de 2021 da Euromonitor e é a única cidade em um mercado emergente a entrar no top 10.

    O favorito dos Emirados Árabes Unidos teve uma vantagem ao reabrir para turistas internacionais em julho de 2020 e no ano passado recebeu um impulso da adiada Expo2020, que começou em outubro de 2021.

    Dubai ficou em quarto lugar globalmente no pilar de desempenho “saúde e segurança”, graças ao rigoroso protocolo Covid introduzido pelo governo.

    Em abril deste ano, mais de 98% da população de Dubai está vacinada e o uso de máscaras continua sendo obrigatório em espaços públicos fechados.

    “Habitável e inclusivo”

    Amsterdã, na Holanda: tecnologia de IA para ajudar a população/ Sergii Figurnyi – stock.adobe.co

    Amsterdã, uma pequena cidade com uma população turística historicamente grande – tanto que se tornou o garoto-propaganda do “overtourism” – ocupa o terceiro lugar em 2021.

    A capital holandesa agora está enfrentando o excesso de turismo com tecnologia: a Euromonitor elogia seu projeto de monitoramento de multidões Public Eye, que usa tecnologia de IA para ajudar a navegar em grandes fluxos de pessoas e reduzir o congestionamento.

    O relatório também observa que Amsterdã, ao lado de Barcelona e Oslo, “tomou medidas para reduzir as vagas de estacionamento”, além de introduzir “extensa infraestrutura de bicicletas para revolucionar suas redes de transporte e criar um lugar mais habitável e inclusivo”.

    O crescimento da população, a melhoria das taxas de desemprego e o aumento do rendimento disponível fizeram com que tenha um bom desempenho económico e empresarial, afirma o Euromonitor, ocupando o sexto lugar nesse ranking a nível global.

    Viva Espanha

    Madrid ocupa o quarto lugar no ranking geral e o número 1 mundial no pilar de desempenho “sustentabilidade”. Também foi o terceiro mundial em “política de turismo e atratividade”.

    Graças à redução dos requisitos de entrada da Espanha para vários mercados, Barcelona também aumentou em seis posições para o 10º lugar em 2021.

    Nova York foi a cidade norte-americana mais bem classificada, na 7ª posição geral. Seu sucesso foi impulsionado pelo turismo doméstico, enquanto Orlando (nº 22) e Las Vegas (nº 28) também melhoraram suas classificações.

    Cingapura ficou em primeiro lugar globalmente no pilar “desempenho econômico e empresarial”, embora a cidade-estado tenha alcançado apenas a 24ª posição no índice geral.

    As cidades asiáticas se destacaram neste pilar, com Taipei e Hong Kong também liderando em 2021 em termos de recuperação econômica, e Macau saltando 18 lugares para sétimo no mundo.

    O Euromonitor também apontou o impacto dos altos níveis de vacinação de Cingapura e da política de “viver com Covid”, em contraste com a abordagem “Zero Covid” de outros destinos da Ásia-Pacífico.

    Dublin ficou em primeiro lugar em “política de turismo e atratividade”, e está em 16º no índice geral.

    A Euromonitor atribui isso à capital irlandesa, como a França, estar aberta a viajantes dos EUA a partir de meados de 2021, ao contrário de seus vizinhos do Reino Unido. Londres caiu três lugares no ranking geral em 2021, caindo para o 8º lugar.

    Londres ganhou em infraestrutura turística, no entanto. O relatório aponta para o abrangente sistema de transporte público da capital, seis aeroportos comerciais e observa que “tem uma forte posição na cultura e recreação, bem como nas ofertas educacionais”.

    Big Ben, Westminster Bridge e os tradicionais ônibus de Londres, na Inglaterra / Sergii Figurnyi – stock.adobe.co

    Confira abaixo o índice dos 20 principais destinos de cidades da Euromonitor 2021:

    • 1. Paris
    • 2. Dubai
    • 3. Amsterdã
    • 4. Madri
    • 5. Roma
    • 6. Berlim
    • 7. Nova York
    • 8. Londres
    • 9. Munique
    • 10. Barcelona
    • 11. Viena
    • 12. Milão
    • 13. Praga
    • 14. Los Angeles
    • 15. Tóquio
    • 16. Dublin
    • 17. Lisboa
    • 18. Frankfurt
    • 19. Zurique
    • 20. Istambul

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original

    Mais Recentes da CNN